Sociedade de Pneumologia e Tisiologia
do Estado do Rio de Janeiro

logo facebook  logo twitter

 
Home >> Glossário

Glossário



A - B - C - D - E - F - G - H - I - J - K - L - M - N - O - P - Q - R - S - T - U - V - Y - X - W - Z

Abscesso pulmonar

Conceito
Abscesso pulmonar é uma infecção do parênquima pulmonar caracterizada pela formação de cavidades cheias de pus. A principal causa é a aspiração de secreções da boca e/ou das vias aéreas superiores para os pulmões. Ocorre principalmente em homens adultos, alcoólatras, com higiene deficiente e portadores de cáries dentais.

Sintomas
Febre, tosse com expectoração purulenta fétida e dor torácica são sintomas do paciente com abscesso pulmonar, assim como dispnéia, mal-estado geral e emagrecimento. O odor fétido da expectoração e o hálito forte do paciente são características importantes para reconhecer a doença.

Tratamento
O tratamento do abscesso pulmonar é realizado com antibióticos apropriados e outros medicamentos que são receitados pelo especialista. Em alguns pacientes há necessidade de tratamento cirúrgico.

Asma

Conceito
É uma doença inflamatória crônica das vias aéreas, caracterizada por episódios recorrentes de dispnéia, chiado e tosse, que se manifesta principalmente durante a noite ou início da manhã.
Estes sintomas estão associados à obstrução dos brônquios, reversível espontaneamente ou com tratamento. O processo inflamatório está relacionado com uma maior sensibilidade dos brônquios a vários estímulos.
O número de casos de asma está em torno de 5 a 8 % da população mundial. Por causas ainda pouco compreendidas, a mortalidade desta doença está aumentando no mundo inteiro, mesmo com o avanço dos estudos e novos medicamentos disponíveis para seu tratamento.

Sintomas
Crise asmática: a manifestação dominante é a dispnéia, associada a chiado no peito, de início geralmente gradual, que aumenta em minutos ou horas, e é acompanhada de ansiedade e tosse com pouca expectoração viscosa. Uma infecção pode ser fator desencadeante ou complicador da crise. Geralmente estes sintomas melhoram com o tratamento. Entretanto, às vezes a crise se prolonga e não cede à medicação usual, ocorrendo o chamado "estado de mal-asmático". Período intercrítico: entre as crises, o paciente pode estar completamente sem sintomas nas formas leves da doença. Porém, é muito comum a persistência de dispnéia aos esforços com chiado e tosse esporádicos.

Tratamento e Prevenção
A finalidade do tratamento deve ser ajudar o asmático a viver como se sua asma não existisse, realizando o tratamento de suas crises e dos períodos intercríticos. A melhor conduta é evitar os fatores desencadeantes por meio do controle ambiental, principalmente evitando a poeira do ambiente domiciliar pela presença dos ácaros.
No tratamento podem ser usados medicamentos ou terapias de apoio. Os medicamentos utilizados podem ser para evitar ou tratar os sintomas.
As medicãções de resgate são para aliviar os sintomas através da melhora do fluxo do ar pelos brônquios e são chamados de broncodilatadores.
As medicações de tratamento da asma visam reduzir o processo inflamatório sendo baseado nos corticóides orais ou inalatórios e os antileucotrienos.
Como os asmáticos diferem imensamente entre si quanto aos agentes desencadeantes, forma clínica, gravidade e, principalmente na forma de se relacionar com a sua doença, não é possível estabelecer um esquema único para o tratamento da asma.
Procure sempre um pneumologista, que poderá avaliar e indicar os melhores exames e terapias para cada caso.