Sociedade de Pneumologia e Tisiologia
do Estado do Rio de Janeiro

logo facebook  logo twitter

 
Home >> Glossário >> C

Glossário



A - B - C - D - E - F - G - H - I - J - K - L - M - N - O - P - Q - R - S - T - U - V - Y - X - W - Z

Câncer de Pulmão

Conceito
O câncer de pulmão é o tumor maligno que pode atingir o pulmão e vias respiratórias inferiores.

Incidência
Uma das doenças malignas mais freqüentes em pessoas acima de 35 anos de idade.
Sua incidência em mulheres vem aumentando progressivamente, devido ao aumento do número de mulheres que fumam.
Na mulher, o câncer mais freqüente é o de mama, seguido de intestino grosso e pulmão. No homem, o câncer mais comum é o da próstata, seguido do pulmão.

Causas
Pesquisas recentes em relação às causas do câncer de pulmão permitem concluir que:
* Quanto mais precoce o início do hábito de fumar, maior o risco de desenvolver câncer pulmonar.
* Cigarros com filtro produzem menos casos de câncer pulmonar.
* Quanto maior o tempo de abandono do tabagismo, menor o risco de desenvolver câncer de pulmão.
* Nem todos os fumantes terão câncer pulmonar.
* Outros fatores relacionados a este câncer:
o Asbesto e amianto, materiais usados como isolantes térmicos e objetos abrasivos.
o Exposição ocupacional a minerais radioativos, como o urânio.
o Exposição a substâncias químicas como formaldeído, gás mostarda, arsênico, níquel, cromo etc.

Sintomas
O sintoma mais comum é a tosse, que ocorre em 75% dos casos. Porém, como a maioria é fumante, a tosse pode não ser reconhecida como um sintoma novo.
Outros sintomas que podem estar presentes são a falta de ar (dispnéia) que se confunde, assim com a tosse, com piora do quadro já existente e a hemoptise (50% dos casos).
A dor torácica, chiado no peito e infecções de repetição também podem ser manifestações do câncer de pulmão nestes pacientes.
Outros sintomas gerais são comuns aos outros tipos de câncer, como por exemplo o emagrecimento. Uma vez que é bastante comum a presença de metástases no cérebro e ossos, podem estar presentes sintomas neurológicos e a dor, principalmente nos ossos.

Estadiamento
O estadiamento é baseado em uma tabela onde é avaliado o tamanho do tumor e a proximidade deste da traquéia, a presença e localização de linfonodos (ou ganglios linfáticos) e ainda a presença de metástases.
Conforme os locais afetados pelo tumor outras manifestações podem ocorrer, como por exemplo:
* Torácicas: resultam de invasão a estruturas vizinhas, provocando derrame pleural, comprometimento do mediastino e diafragma etc.
* Extratorácicas: na forma de metástases (massas de tumor implantado em outros órgãos a distância), principalmente a gânglios linfáticos, fígado, glândulas suprarrenais, ossos, rins e cérebro.

Tratamento
Após ser avaliado o estadiamento do tumor, é decidido o melhor tratamento
* Cirurgia: A cirurgia é o tratamento de escolha, desde que não exista contra-indicação, entretanto, como o tumor de pulmão costuma apresentar sintomas somente em fases mais avançadas, muitos caos não podem ser mais operados no momento do diagnóstico.
* Quimioterapia: Quimioterapia é a aplicação endovenosa de medicamentos que controlam a doença e as metástases (massas de tumor implantado em outros órgãos a distância), em graus mais ou menos efetivos, dependendo do tipo de câncer.
* Radioterapia: Radioterapia é a aplicação de radiações ionizantes diretamente no tumor. A sua indicação e resposta dependem do tipo de câncer e do grau de invasão nos tecidos vizinhos.

Prevenção
O principal meio de diminuir o risco de câncer de pulmão é parar de fumar. Reduzir a exposição a outros agentes cancerígenos, como o asbesto, também são decisivos para reduzir o risco.
Se você é fumante ou ex-fumante, tem exposição atual ou pregressa a produtos químicos ou poeiras, procure seu pneumologista para fazer uma avaliação.
Quanto antes o tumor de pulmão for diagnosticado maiores as chances de cura.

Cianose

É a coloração azulada e difusa da pele e das mucosas, notada principalmente nas unhas e lábios. Quando de maior intensidade, observa-se em todo o corpo. É facilmente observada em casos de insuficiência respiratória.
Existem várias causas para seu aparecimento. A principal delas é o aumento da hemoglobina reduzida ou não-oxigenada nos capilares periféricos, causando a alteração de coloração, uma vez que nestes casos a hemácea fica mais escura. Esta coloração azulada aparece quando a concentração de hemoglobina reduzida no sangue ultrapassa 5%. É melhor observada com luz natural que com luz artificial.
A alteração da oxigenação da hemácea pode ser secundária à alterações da troca de gases no pulmão, por problemas cardíacos ou por defeitos no metabolismo da própria hemácea.
Pode também ocorrer em algumas intoxicações que alteram a composição da hemoglobina normal do sangue, em síndromes relacionadas às doenças do colágeno (onde há alteração na microcirculação das extremidades) ou acompanhando alguns tumores, como manifestação de síndrome paraneoplásica.
Algumas doenças das hemáceas podem também se manifestar da mesma forma.
Há também casos benignos, onde as extremidades, principalmente dos dedos ficam arroxeadas ao serem expostas à baixas temperaturas.
Se você apresenta esta coloração azulada nas unhas e/ou lábios, procure um pneumologista que poderá avaliar e tratar a causa adequadamente.

Coqueluche

Conceito
Coqueluche é uma doença do aparelho respiratório altamente contagiosa, causada pela bactéria Bordetella pertussis, que provoca acessos de tosse durante várias semanas, sendo principalmente grave em crianças pequenas.

Sintomas
Após 7 a 15 dias do contágio de outra pessoa doente, desenvolvem-se três fases:
• Fase catarral: caracterizada por espirros, coriza, lacrimejamento, mal-estar, febre e tosse seca discreta, que aumenta principalmente à noite. Dura de uma a duas semanas.
• Fase paroxística: aparecem acessos severos de tosse que provoca vômitos, dispnéia e cianose, principalmente à noite. Pode se complicar com pneumonia e convulsões. Dura de 4 a 6 semanas.
• Fase de convalescença: durante 2 a 3 semanas os acessos de tosse diminuem em freqüência e intensidade.

Tratamento
Antibióticos apropriados, outros medicamentos e cuidados especiais, principalmente em crianças, serão receitados pelo médico responsável.

Prevenção
Existem vacinas efetivas que fazem parte da vacina tríplice (DPT) para crianças.
O paciente deve ser isolado principalmente na fase paroxística que é a mais contagiosa.

Coriza ou Rinorréia

Eliminação de secreção pelas fossas nasais. Ocorre em casos de rinite, sinusite e resfriados.
O aspecto pode variar de acordo com a causa. Em infecções tende a ser mais espessa e purulenta, até mesmo com um pouco de sangue. Em quadros alérgicos e inflamatórios tende a ser mais aquosa e transparente.